Projeto Extensão Carne Forte

Uma boa opção para toda a família

Mitos e verdades sobre a carne suína.

Tudo o que você precisa saber!
A importância da carne suína em nossas vidas

A importância da carne suína em nossas vidas

A carne suína possui muitos benefícios a saúde humana. É rica em proteínas de alto valor biológico, ácidos graxos monoinsaturados, vitaminas do complexo B, ferro, selênio e potássio. Ao contrário do que a maior parte da população acredita possui reduzido teor de gorduras, calorias e colesterol, diferente da carne suína que era produzida antigamente. Se comparada com outras fontes protéicas importantes na nutrição humana, a carne suína é opção barata e apresenta variados cortes, possíveis de serem preparados nas refeições do dia-a-dia. A carne suína vem conquistando novos consumidores e aumentando sua importância no contexto nacional. Que tal experimentar?

Vantagens

As principais vantagens do consumo da carne suína!

Versatilidade na hora de preparar!!!

A carne suína apresenta grande versatilidade quanto a cortes, sendo possível a realização dos mesmos cortes da carne bovina. Além disso, pode ser preparada assada, cozida ou grelhada, originando diversas receitas deliciosas.

Proteínas de alto valor biológico!

Apresenta riqueza nutritiva no conteúdo de proteínas de alto valor biológico, ácidos graxos saturados e insaturados, vitaminas do complexo B, ferro, selênio e potássio além de nutrientes que fortificam e são benéficos aos dentes, ossos e músculos.

Indicada para pacientes hipertensos!

Apresenta menor teor de sódio e por esta razão, indivíduos hipertensos, além do uso regular de medicamentos apropriados e redução no conteúdo de sal na sua dieta, podem ser orientados a ingerir carne suína para auxiliar no controle da hipertensão.

Rica em ferro!

Por apresentar elevada concentração de ferro, a carne suína pode ser utilizada como alimento preventivo a anemia ferropriva, que é uma doença comum em crianças e mulheres.

Sabor aliado à saúde!

É indicada por médicos para pessoas com risco de doença cardiovascular, por não possuir influencia no desenvolvimento de cardiopatias, em especial quando no consumo dos cortes nobres e com baixo teor de gordura.

Coração mais saudável!

Seu consumo apresenta baixo risco de produzir doenças cardiovasculares (índice aterogênico = 0,31), o que reitera o papel da carne suína como uma fonte saudável de proteína animal, a qual pode ser indicada por médicos para pessoas com risco de doença cardiovascular.

Proteína para quem pratica esportes!

É ideal para quem pratica esportes e deseja atingir um ganho de massa muscular adequado. A carne suína apresenta proteína magra, capaz de suprir as necessidades de consumo em quantidades especificas.

Vitamina D nas sua dieta diária!

A banha suína é o oitavo alimento mais nutritivo do mundo, é a segunda maior fonte alimentar de vitamina D, sendo rica em ácido oleico, uma gordura cujo consumo está diretamente relacionado ao menor risco de depressão, além de possuir sabor e cheiro neutros, podendo ser utilizada em qualquer tipo de preparação sem alterar o gosto da comida.

Segurança alimentar aliada a sabor!

O risco de parasitoses como a teníase, são muito reduzidos, pois o suíno moderno é criado de forma confinada, sem contato direto com o solo, diferentemente do suíno criado antigamente.

O que verificar ao comprar carne suína?

Obtendo carne suína procedente de abatedouros com selo de inspeção (municipal, estadual ou federal) há garantia da segurança sanitária do produto. Desta forma, podemos usufruir de um produto saudável, barato e de excelente fonte de nutrientes.

Consumir carne suína pode te ajudar a perder peso?

É uma carne com diversos cortes com baixo valor calórico e ricos em nutrientes essenciais e proporciona saciedade. Além disso, grande parte da gordura do suíno é localizada no toicinho e pode ser retirada facilmente antes do preparo.

Não provoca alergia!

A carne suína não pertence ao grupo de alimentos que causam reações alérgicas. Diferente de alguns outros alimentos que causam alergia, a proteína presente na carne suína não apresenta nenhum risco para o organismo! Pode ser consumida no pós-operatório de pacientes sem risco nenhum..

Estatísticas

Segue abaixo alguns dados estatísticos !

Você sabia que a carne suína é a carne mais consumida no mundo?

Exatamente!!! Ao contrário do que ocorre em nosso país, onde a carne suína ainda apresenta um baixo consumo per capita, em outros países (como pode ser visto na estatística ao lado) o consumo é muito elevado. Certamente ela é tão bem aceita em diversos pontos do mundo por ser uma fonte de proteína de altíssima qualidade e acessível a toda população.

Estatísticas sobre a carne suína

Dúvidas Frequentes

Confira abaixo as principais dúvidas selecionadas!

Não, pois a carne suína é composta por proteínas de alto valor biológico. Quando degradadas, essas proteínas irão produzir aminoácidos essenciais responsáveis pela composição da massa magra. Possui também fonte de vitaminas do complexo B e minerais como o ferro. Além de possuir vários cortes com reduzidos teores de gordura. O importante é o consumo moderado deste alimento, assim como todos os outros.
Não, pois ao lavar qualquer carne, a água acaba removendo grande parte dos nutrientes e alterando a sua suculência.
Sim, a carne suína não possui contraindicação em nenhuma faixa etária, devendo ser adquirida em um estabelecimento comercial, e possuir o selo de serviço de inspeção, para que que haja garantia de procedência.
Não, pois não existe nenhuma comprovação científica que a carne suína prejudique o processo de cicatrização. Além disso, cortes como o lombo suíno que oferecem proteínas magras auxiliam a cicatrização. É importante associar a carne suína com outros alimentos saudáveis.
Não há restrições a qualquer tipo de proteína animal que possa ser adicionado na dieta dos bebês a partir dos seis meses de vida, desde que esses produtos tenham boa procedência. Além disso, a carne suína é rica em Ferro, o que auxilia no combate de problemas como anemia e no sistema imune. 100 gramas de carne suína possuem de 10-22,5 % da necessidade diária de ingestão de ferro de um indivíduo saudável.
Sim, a carne suína pode ser um forte aliado no controle da hipertensão, isso porque possui altos teores de potássio em relação ao teor de sódio. Sendo esses minerais responsáveis pelo controle da bomba de sódio e potássio, que atua no equilíbrio osmótico das células. Dessa forma, a carne suína diminui a entrada de água nas células e previne quadros de hipertensão.
Sim, a carne suína é rica em selênio, que possui propriedade antioxidante, auxiliando na prevenção da formação de radicais livres, sendo esses responsáveis pelas linhas de expressão. Logo, comer carne suína pode ser um aliado no envelhecimento saudável.
Não, seria inviável na produção animal, pois as aplicações deveriam ser realizadas por injeção diariamente em todos os animais, além de ser proibido por lei a aplicação de hormônios. Atualmente a produção é eficiente e realizada em um período relativamente curto devido aos avanços de manejo, nutrição, melhoramento genético, especialização da mão-de-obra e segmentação da cadeia produtiva, ou seja, a especialização de cada produtor em realizar uma etapa do ciclo de produção.
Antigamente os suínos eram criados soltos, muitas vezes em meio a outros animais, comiam lavagem e outros alimentos que tinham chance de estar contaminados. Contudo, hoje a produção comercial de suínos é altamente tecnificada, feita em granjas em que os animais não têm contato com a terra, são isolados de outras espécies, com um rígido controle e inspeção sanitária afim de se evitar a proliferação de micro-organismos. Além disso, as instalações são projetadas para o melhor aproveitamento das condições climáticas com estratégias para maior proteção da produção, como o plantio de árvores ao redor das granjas que ajudam a evitar a disseminação de patógenos pelo ar.
Não, o ciclo do complexo teníase cisticercose ocorre quando ao defecar em ambiente livre, o homem libera em suas fezes os ovos. Caso o suíno criado em vida livre ingira esses ovos desenvolve em sua musculatura os cisticercos. Se o homem se alimentar de carne suína com cisticerco esses vão eclodir no sistema digestório e desenvolver a teníase. A ocorrência da cisticercose é através do consumo de verduras ou frutas contaminadas e mal lavadas. A participação do suíno neste ciclo está diminuindo drasticamente pois ele é criado em sistema intensivo sem acesso ao solo.

Depoimentos

Receitas

Confira nossas receitas!

Sanduíche de pernil suíno desfiado com molho de mostarda e mel

Elaboradas pelo Chef Matheus Renostro

Leia Mais
Sanduíche natural de pernil com creme de ricota

Elaboradas pelo Chef Matheus Renostro

Leia Mais

Apoiadores

Contato

Entre em contato conosco !

  • Telefone:
    (44) 3211 8526
  • Endereço:
    Rua Pioneiro, 2153 - Dallas,
    Palotina - PR, 85950-000
  • E-mail:
    carneforte@yahoo.com